Grãos: Conab reduz projeção para safra 20/21 e estima 264,8 milhões de toneladas

Grãos: Conab reduz projeção para safra 20/21 e estima 264,8 milhões de toneladas

13/01/2021 NOTÍCIAS DO SINDICATO 0

A safra brasileira de grãos 2020/2021 deve totalizar 264,8 milhões de toneladas, alta de 3% em relação às 256,94 milhões de toneladas colhidas no ciclo anterior e volume recorde. O dado faz parte do quarto levantamento da temporada, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quarta-feira, 13. Em relação ao relatório anterior, que apontava produção de 265,87 milhões de toneladas, há leve queda de 0,4%.

Soja

Com aumento de área em 3,4%, a produção de soja na safra 2020/21 pode chegar a 133,7 milhões de toneladas no país. A oleaginosa é a principal cultura cultivada e representa cerca de 50% da colheita de grãos. Saiba mais no Projeto Soja Brasil!

Milho

A produção brasileira de milho deverá totalizar 102,313 milhões de toneladas na temporada 2020/21, com recuo de 0,2% na comparação com a temporada anterior, quando foram colhidas 102,515 milhões de toneladas. Em dezembro, a companhia indicava produção de 102,589 milhões de toneladas. A revisão para baixo entre uma estimativa e outra ficou em 0,3%.

A Conab trabalha com uma área de 18,463 milhões de hectares, com retração de 0,3% sobre o ano anterior, quando foram cultivados 18,527 milhões de hectares. Em dezembro, a previsão era de 18,436 milhões de hectares.

A produtividade está estimada em 5.541 quilos por hectare, com alta de 0,1% sobre a temporada anterior, quando o rendimento ficou em 5.533 quilos. Em dezembro, a previsão era de 5.564 quilos.

A primeira safra de milho deverá totalizar produção de 23,911 milhões de toneladas, com queda de 6,9% sobre a temporada anterior, quando foram colhidas 25,689 milhões de toneladas. Em dezembro, a Conab indicava safra de 24,187 milhões de toneladas.

A segunda safra, ou safrinha, está estimada em 76,763 milhões de toneladas, mantendo a previsão de dezembro. A Conab espera um aumento de 2,3% sobre o total colhido no ano passado, de 75,053 milhões de toneladas. A terceira safra está estimada em 1,638 milhão de toneladas, com queda de 7,6% sobre 2019/20, de 1,772 milhão.

Trigo

A produção brasileira de trigo em 2021 deverá ficar em 6,234 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), repetindo o número de 2020. Em dezembro, a entidade indicava uma produção de 6,183 milhões de toneladas.

A área plantada deve ficar em 2,341 milhões de hectares, também o mesmo número. Em novembro, a previsão era de 2,339 milhões de hectares. A produtividade está projetada em 2.663 quilos por hectare, sem alteração. No mês anterior, o número era de 2.628 quilos.

Feijão

A produção brasileira de feijão deverá totalizar 3,144 milhões de toneladas na temporada 2020/21, com recuo de 2,4% na comparação com a temporada anterior, quando foram colhidas 3,222 milhões de toneladas. Em dezembro, a Conab indicava produção de 3,120 milhões de toneladas. A revisão para cima entre uma estimativa e outra ficou em 0,8%.

A companhia trabalha com uma área de 2,926 milhões de hectares, repetindo o ano anterior. Em dezembro, a previsão era de 2,928milhões de hectares.

A produtividade está estimada em 1.074 quilos por hectare, com baixa de 2,06% sobre a temporada anterior, quando o rendimento ficou em 1.104 quilos. Em dezembro, a previsão era de 1.065 quilos.

A primeira safra de feijão deverá totalizar produção de 1,082 milhão de toneladas, com queda de 2,1% sobre a temporada anterior, quando foram colhidas 1.105 milhão de toneladas. Em dezembro, a Conab indicava safra de 1,058 milhão de toneladas.

A segunda safra está estimada em 1,252 milhão de toneladas, mantendo a previsão de dezembro. A Conab espera um aumento de 0,6% sobre o total colhido no ano passado, de 1,244 milhão de toneladas.

A terceira safra está estimada em 809,4 mil toneladas, com queda de 7,2% sobre 2019/20, de 872,1 mil.

Sorgo

A produção brasileira de sorgo deverá totalizar 2,594 milhões de toneladas na temporada 2020/21, com elevação de 3,9% na comparação com a temporada anterior, quando foram colhidas 2,498 milhões de toneladas. Em dezembro, a Conab indicava produção de 2,598 milhões de toneladas. A revisão para baixo entre uma estimativa e outra ficou em 0,2%.

A entidade trabalha com uma área de 834 mil hectares, com recuo de 0,1% sobre o ano passado – 835,2 mil toneladas. O recuo é o mesmo na comparação com a previsão feita em dezembro.

A produtividade está estimada em 3.111 quilos por hectare, com alta de 4% sobre a temporada anterior, quando o rendimento ficou em 2.991 quilos. Em dezembro, a previsão era de 3.111 quilos.

Arroz

O quarto levantamento da Conab  para a safra brasileira 2020/21 de arroz indica produção de 10,904 milhões de toneladas, o que representa um decréscimo de 2,5% sobre as 11,183 milhões de toneladas de 2019/20. No segundo levantamento, eram esperadas 10,961 milhões de toneladas.

A área plantada com arroz na temporada 2020/21 foi estimada em 1,705 milhão de hectares, ante 1,665 milhão semeados na safra 2019/20.

A produtividade das lavouras foi estimada em 6.394 quilos por hectare, inferior em 4,8% aos 6.713 quilos por hectare na temporada passada.

O Rio Grande do Sul, principal Estado produtor, deve ter uma safra de 7,628 milhões de toneladas, equivalendo a um recuo de 3%. A área prevista é de 968,7 mil hectares, ganho de 2,4% ante os 946 mil hectares de 2019/20, com rendimento esperado de 7.875 quilos por hectare, ante 8.316 quilos da anterior.

Em Santa Catarina, a produção deverá totalizar de 1,163 milhão de toneladas, ante 1,211 milhão na safra 2019/20. O estado é o segundo maior produtor do país.

Para Mato Grosso, a Conab está estimando uma safra de 408,5 mil toneladas, ante 404,8 mil toneladas calculadas para 2019/20.

Algodão

A safra brasileira de algodão em pluma na temporada 2020/21 está estimada em 2,651 milhões de toneladas, baixa de 11,7% na comparação com as 3,001 milhões de toneladas indicadas na safra 2019/20. No terceiro levantamento, eram esperadas 2,670 milhões de toneladas.

A produtividade das lavouras está estimada em 1.746 quilos de algodão em pluma por hectare, ante 1.802 quilos na temporada 2019/20. A área plantada com algodão na temporada 2020/21 está estimada em 1,518 milhão de hectares, retração de 8,8% na comparação com os 1,665 milhão de hectares da safra passada.

Mato Grosso, principal estado produtor, deverá colher uma safra de algodão em pluma de 1,930 milhão de toneladas, número que representa um recuo de 8% ante 2019/20, quando foram produzidas 2,098 milhões de toneladas.

A Bahia, segundo maior produtor de algodão, deve colher 482,5 mil toneladas de algodão em pluma, retração de 19,1% sobre 2019/20 (596,7 mil toneladas). Goiás deverá ter uma safra 2020/21 de 44,3 mil toneladas, com decréscimo de 26,3% sobre 2019/20 – 60,1 mil toneladas.

Mudança na metodologia de calcular a safra de arroz

Neste 4º levantamento, houve uma revisão da periodicidade e metodologia do quadro de oferta e demanda de arroz. A Conab alterou a janela de análise anual de cada safra, passando do período de março a fevereiro para janeiro a dezembro.

“Esta mudança já era solicitada pelo setor e visa trazer maior transparência e precisão nas estimativas de estoques, uma vez que, ao estimar o estoque de passagem em fevereiro, era preciso desconsiderar o produto novo colhido nos primeiros meses do ano. Isto gerava dificuldade na extração de tal informação, além de poder levar a uma interpretação equivocada do quadro de suprimento, em vista que o estoque físico real, ao final de fevereiro, é sempre maior do que o publicado como estoque de passagem”, informa a entidade.

Com esta mudança, o estoque físico real, ao final de dezembro, será igual ao publicado como estoque de passagem no fim do mesmo mês, pois a colheita do arroz inicia-se apenas em janeiro de cada ano.

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *