PARÁ DE MINAS

A origem de Pará de Minas está ligada ao deslocamento de aventureiros e bandeirantes à procura de ouro e pedras preciosas, no final do século XVII. O Município surgiu com a descoberta das minas de Pitangui, local que se tornou centro de migração e riqueza na área compreendida entre os rios Paraopeba, São João e Pará. 
Havia um ponto de pouso situado às margens do Ribeirão Paciência, onde muitos se fixavam dedicando-se ao trato da terra e à criação de animais. Segundo antigos relatos, entre os que permaneceram no local estava o mercador Manuel Batista, apelidado de “Pato Fofo”, em virtude de seu peso excessivo e de sua baixa estatura. 
Manuel Batista estabeleceu-se em uma fazenda que passou a explorar, e sua fama logo alcançou outros domínios da região. A casa onde residiu é considerada a primeira residência construída na cidade e, atualmente, abriga o Museu Histórico de Pará de Minas. Em decorrência da alcunha de Manuel Batista, o local ficou conhecido como Patafufio ou Patafufo, corruptelas de “Pato Fofo”. 
Atualmente, com aproximadamente 95 mil habitantes, Pará de Minas exemplifica perfeitamente o ideário da mineiridade. Ao mesmo tempo em que tem conservada sua memória histórica, o Município projeta-se no cenário estadual pelo seu progresso e potencial de desenvolvimento. O Município é composto por sete distritos: a sede, Ascensão, Bom Jesus do Pará, Carioca, Córrego do Barro, Torneiros e Tavares de Minas.

Fonte: MUSPAM – Museu Histórico de Pará de Minas

Parque do Bariri

O complexo de esporte e lazer Parque Bariri, criado pela  Lei Municipal Nº 2.222, de 10 de julho de 1.984, teve a obra de construção iniciada em abril de 1.987, em uma área de 34 mil metros quadrados localizada no Bairro São José, situação que o dividiu ao meio. O projeto foi da arquiteta Isabel Christina Neto Collin, tendo como co-autor o arquiteto Márcio Menicucci, reconstituindo uma antiga lagoa existente no local, que consta da planta cadastral da cidade como Represa Municipal. O local, conhecido anteriormente como Lagoa do Zezé do Julinho, referência a José de Melo Franco, proprietário dela e das terras do entorno, recebeu o nome de Bariri dos meninos das décadas de 1950/60, que jogavam partidas de futebol – peladas – no campo improvisado nas imediações da lagoa,  batizado por eles de Campo Bariri. O nome faz analogia ao Campo do Bariri no Rio de Janeiro, referência ao Campo do Olaria Atlético Clube, localizado na Rua Bariri (RJ). A denominação persistiu por gerações e, com a ideia de transformar o local em Parque de Lazer o nome Bariri continuou. “Bariri” é nome indígena que significa pequeno regato, pequena corredeira, como consta na publicação comemorativa dos 128 Anos de Pará de Minas(Datas Magnas Edições Publicações e Publicidade Ltda, Belo Horizonte, MG, 1987, pág. 32).  
                 Quase dez anos se passaram para a população começar a usufruir dos benefícios advindos com a construção do belo parque. Somente em 25 de maio de 1.996 ocorreu a inauguração da 1ª etapa das obras da sua construção. A administração municipal, na gestão do Prefeito Silésio Mendonça, entregou à comunidade as quadras, vestiários, rede de iluminação subterrânea, ajardinamentos e a pintura dessa fase. Em 1.999 a lagoa foi despoluida, com a construção de interceptores de esgotos das residências em seu entorno e limpeza do fundo do lago. As obras das pistas de cooper e ciclismo, a quadra de areia, os serviços de jardinagem, foram concluídos no ano seguinte. O parque recebeu nas comemorações dos 500 anos do Brasil, uma muda da árvore “pau brasil”  plantada pelo Prefeito Eli Pinto de Faria, em 22 de abril de 2.000. Uma nova iluminação foi colocada em funcionamento em 30 de julho do mesmo ano para maior segurança dos frequentadores, atendendo à reivindicação da Associação de Moradores do Alto do São José. 

 O Bariri, como é carinhosamente chamado pela comunidade, ao longo dos anos foi se expandindo e, atualmente, ocupa uma área de mais de 50 mil metros quadrados. Tornou-se referência de local turístico e aprazível para a população, que dele usufrui para caminhadas, jogos, ciclismo, e ainda levar as crianças para se divertirem no conjunto de brinquedos lá existente. Shows artísticos, feiras e encontros, lá acontecem frequentemente, movimentando ainda mais o local. O Parque Bariri tornou-se um dos mais belos cartões postais de Pará de Minas.

Fonte: MUSPAM – Museu Histórico de Pará de Minas